Cardápio

IMG_3980
IMG_4479

CAFÉS ESPECIAIS

O termo Specialty Coffee foi criado em 1974 nos Estados Unidos por Ena Knutsen, uma das fundadoras da Specialty Coffee American Association, que desenvolveu a metodologia para a classificação de cafés especiais. Essa metodologia é aplicada através de análise sensorial de amostras idôneas de um determinado lote de café, com objetivo de avaliar e pontuar suas qualidades e propriedades organolépticas.

Antigamente, os cafés eram classificados apenas pela presença de defeitos e, com isso, cafés de regiões distintas, com aromas e sabores absolutamente diferentes eram muitas vezes equiparados entre si. Verdadeiras jóias acabavam se perdendo e a valorização das qualidades dos cafés, acabou surgindo o termo ESPECIAL, que inclusive está acima da classificação gourmet para cafés no Brasil.

Nós trabalhamos com o que o nosso Brasil tem de melhor: a produção de café artesanal. E o que isso significa? Significa que você fará parte do seleto grupo que consome apenas 2% da produção de café especial que fica no país, os outros 98% vão para fora do país. O café que estamos acostumados a tomar em casa ou no escritório nada mais é que o grão de baixa qualidade que o restante do mundo não quer importar.

Trabalhamos com uma torra média clara feita especialmente para a Sweez. Nossos cafés fixos são o Bourbon Vermelho e Bourbon Amarelo, originários do Cerrado de Mineiro e o Catuaí Vermelho, originário das montanhas do Espírito Santo, além do microlote fermentado Obatã Amarelo também do Cerrado Mineiro e mais dois grãos convidados.

NOSSOS MÉTODOS

IMG_4537

HAIRO V60

Similar ao tradicional de filtro de papel. Apresenta ranhuras em espirais que facilitam a expansão do café quando em contato com a água. A abertura maior ajuda na passagem de água pelo pó, tudo para que se tenha maior controle da velocidade de extração. O filtro de papel natural retém alguns componentes e ressalta outros, o resultado é um café mais ácido, doce, limpo e licoroso.

IMG_4516

CHEMEX

Inventada por um químico em 1924, a Chemex tem um formato único, onde o coador e o recipiente são interligados. Produz um café passado leve e sem resíduos devido ao seu filtro ser mais grosso e dobrado em forma de cone, formando uma parede tripla.

3

AEROPRESS

É um meio termo entre o método coado e o sob pressão (espresso). Utiliza filtro de papel, entretanto, devido a força utilizada para a extração, alguns sólidos solúveis, até os açucares, que não seriam totalmente dissolvidos apenas pela gravidade, são extraídos. O resultado é uma bebida equilibrada quanto a doçura e acidez, com sabor intenso e agradável.

IMG_4302

FRENCH PRESS

Método de extração por infusão que mostra a complexidade do nosso café especial. O filtro metálico não retém os açucares e os óleos presentes no café, o resultado é uma bebida doce, encorpada e cheia de sabor. É o método que mais se aproxima do cupping de provas oficiais de degustação.

IMG_3789

COLD BREW

Café gelado preparado na Mizudashi da Hario, no método cold Brew, uma infusão a frio de mais de 8 horas. Refrescante, aromático, delicioso e limitado, disponível apenas 1l por dia.

IMG_3705

ESPRESSO

Fazer espresso é uma arte, aqui na Sweez, regulamos a máquina e o moinho todos os dias, isso significa que você sempre terá um café equilibrado entre acidez e doçura. Também oferecemos o naked, um espresso feito com um porta-filtro especial que comporta uma maior quantidade de café, o resultado é uma dose extra de cremosidade aveludada e uma doçura pronunciada.